A Esquerda Finge se Assustar com o Que Ela Mesma Quer Implantar

A falsa indignação contra o "nazismo"

Havia prometido a mim mesmo uns dias para descanso, mas infelizmente a burrice seletiva da esquerda brasileira não tira folga.

O caso da fala e subsequente demissão do Secretário da Cultura, Roberto Alvim, é um exemplo concreto de como o mau caratismo dos progressistas perdeu completamente a modéstia.

Não que eu ache que a forma como a ideia foi apresentada pelo secretário e a escolha do discurso não mereçam críticas ou até mesmo a total reprovação, haviam várias outras formas de passar a mensagem de resgate da cultura (essa dominada e vilipendiada pela esquerda há décadas) sem recorrer a traços caricaturais.

Mas daí a assumir que o Secretário da Cultura é um Nazista tentando implantar um projeto totalitário a mando do governo é de uma idiotice sem tamanho. Chilique doentio de quem nunca estudou uma página do nazismo (ou fascismo, ou de qualquer assunto relacionado ao totalitarismo) e simplesmente se condiciona a repetir os jargões já manjados de pseudo-indignação forjados nas faculdades e ecoado nas redações da nossa imprensa birrenta.

O governo Bolsonaro tem implantado uma agenda sistemática de enxugamento da máquina pública, cortando impostos e cargos, além de promover uma economia descentralizada, facilitando o empreendedorismo e focando nas liberdades individuais (inclusive resgatando o direito do cidadão de possuir armas de fogo para se defender, direito banido no nazismo). Fora que, no governo Bolsonaro, as minorias estão mais protegidas e sofrendo menos com a violência do que nos governos de esquerda que supostamente estavam do lado delas. E para finalizar, pela primeira vez o Brasil é visto por Israel como um aliado de peso. Em resumo, qualquer pessoa que tenha lido meia página sobreo nazismo, sabe que o governo atual não tem absolutamente nada de nazista.

Por que então a esquerda, a mídia, as celebridades e o meio acadêmico vivem denunciando as ameaças nazifascistas a todo momento? Simples, porque quando um comunista te acusa de fazer algo é porque ele já fez ou planeja fazer a mesma coisa. Sejam comunistas estudados, sejam idiotas úteis repetindo o discurso que chega pronto, a dissimulação é uma só.

Eles querem implantar um totalitarismo onde somente sua opinião possa existir. Grandes nomes da esquerda na política são frequentemente vistos elogiando trogloditas como Che Guevara e Fidel Castro, ou fazendo odes aos regimes comunistas de Stalin e Mao que mataram uma centena de milhão de pessoas sob a desculpa de promover a igualdade.

Criticar o secretário Roberto Alvim pela fala que supostamente parafraseava Goebbels enquanto vota em Lula que disse admirar a dedicação e o entusiasmo de Hitler, ou em Dilma que abertamente declara o assassino racista e homofóbico Che Guevara como um de seus, mostra que a doutrinação política no meio acadêmico e cultural brasileiro já atingiu um ponto onde os idiotas não percebem a própria idiotice.

Bolsonaro demitiu rapidamente o secretário para afirmar seu compromisso com a democracia. Quantos esquerdistas deixaram de votar em Haddad depois que ele disse preferir Stalin a Hitler pois o primeiro ao menos lia os livros de seus inimigos antes de fuzilá-los? Já disse e repito, a esquerda é o reduto de tudo que há de pior no mundo.

Frederico Rodrigues

Escritor, Tradutor e Comentarista Político. Membro da Direita Goiás e Conservadores Pela Liberdade.
Colunista do Jornal da Cidade Online e Graduado em Direito.
Nascido nos anos 80, criado nos anos 90. 

Apoie a independência do nosso trabalho. Colabore com qualquer valor acessando: apoia.se/fred_rodrigues

Mais de Frederico Rodrigues

Comentários

Mais em Cultura e Entretenimento