A doença do Esquerdismo

Para agradar cliente esquerdista, Cafeteria Starbucks pede para que policiais se retirem do estabelecimento

Muitas vezes já escrevi aqui que o esquerdismo é doença. Acredito que de tanto fazer essa observação, acabei banalizando-a e transformando-a numa simples piada casual.

O fato é que, esquerdismo é 100%, incontestavelmente e definitivamente um transtorno mental. Ele aleija o ser humano moral e intelectualmente. O transforma num mero passageiro de uma visão de mundo ridícula, ao mesmo tempo em que faz o doente desfrutar de um enorme senso de superioridade moral fomentado pela própria ignorância.

Em resumo, o esquerdismo não só transforma o afetado em um idiota, como o faz se sentir confortável com sua burrice e extremamente agressivo com quem quer que tente lhe mostrar o mundo real.

Nos EUA, um indivíduo esquerdista, (destes que já engoliu o programa completo que a esquerda tem para oferecer), pediu que um funcionário retirasse seis policiais que se encontravam dentro do estabelecimento lanchando. Segundo o cliente, a presença dos policiais ali o fazia se sentir inseguro.

E o pior é que o funcionário da empresa atendeu ao pedido do esquerdista e os policiais tiverem que deixar o local. Uma situação tão ridícula que se contada há 10 anos atrás todos ririam achando se tratar de uma piada. Mas para os tempos atuais, onde a esquerda transforma seres humanos adultos em sombras deles mesmos, alimentando a divisão, o medo e a incapacidade, não chega a ser surpreendente.

Esse é mais um motivo pelo qual NUNCA devemos ceder um centímetro que seja aos desejos da esquerda. O progressismo não irá parar até que toda a sociedade viva a idéia deformada da esquerda de que todos tem motivos para temer a todos, de que a opressão está em todos os cantos e de que ser um adulto insensível e incapaz é uma virtude.

Frederico Rodrigues

Escritor, Tradutor e Comentarista Político. Membro da Direita Goiás e Conservadores Pela Liberdade.
Colunista do Jornal da Cidade Online e Graduado em Direito.
Nascido nos anos 80, criado nos anos 90. 

Apoie a independência do nosso trabalho. Colabore com qualquer valor acessando: apoia.se/fred_rodrigues

Comentários