Não era pela educação, era pelo PT

10 coisas que greve dos estudantes nos mostrou

Ontem milhares de pessoas foram às ruas protestar em prol da educação. Não pude deixar de notar algumas curiosidades:

1. Aparentemente a educação está bem pior do que pensávamos, dado a quantidade grotesca de erros básicos de português no cartazes.

2. MST e CUT formam o grosso da classe estudantil brasileira.

3. Por algum motivo, o protesto não poderia ser realizado no domingo, os "alunos" e "professores" extremamente preocupados com a qualidade do ensino decidiram realizar numa quarta-feira e perder aula.

4. Numa prova de que a matemática também não é o forte desse pessoal, resolveram protestar contra o "corte de 30%" de Bolsonaro mas ficaram quietos no corte de 47% de Dilma. Não aprenderam que 47 é maior que 30.

5. Muitos ficaram indignados com Bolsonaro por chamar os "manifestantes de massa" de manobra e de "idiotas úteis". Disseram que não são nada disso e logo em seguida continuaram o protesto servindo de massa de manobra para sindicatos e fazendo o papel de idiotas úteis para políticos petistas.

6. E para provar que não são idiotas úteis à serviço de políticos, carregavam faixas pedindo "Lula Livre".

7. Aliás pediram tanto a soltura de Lula que deu a impressão que o protesto era para pedir que ele fosse solto para receber aulas de português.

8. Nenhum cartaz apresentou soluções para gerar receita para a educação. Na verdade, pediam também o fim da reforma da previdência. Os brilhantes intelectuais não sabem algo que toda dona de casa sabe: dinheiro não é infinito.

9. O Brasil passar 16 anos figurando nos últimos lugares do ranking mundial da educação não mereceu passeatas. O contigenciamento de 3,5% feito no governo Bolsonaro, merece.

10. Por algum motivo, os estudantes e professores caminhavam de mãos dadas com os mesmos políticos de esquerda que colocaram a educação na situação vergonhosa que se encontra hoje.

Talvez se dermos uma olhada no significado de "idiota útil", esse protesto faça mais sentido: "Idiota útil, por definição, é aquela pessoa idiota demais para saber a quem está sendo útil."

A educação brasileira precisa realmente ser salva. Ser salva das mentes por trás destes protestos.>>

Frederico Rodrigues

Escritor, Tradutor e Comentarista Político. Membro da Direita Goiás e Conservadores Pela Liberdade.
Colunista do Jornal da Cidade Online e Graduado em Direito.
Nascido nos anos 80, criado nos anos 90. 

Comentários